segunda-feira, 26 de julho de 2010

Esta noite eu queria sonhar.


Sonhar com a minha felicidade, com o meu raio de sol. Queria que tudo tornasse mais simples de se entender, só para não aparecerem incógnitas idiotas e insensatas em minha mente. Esta noite poderia ser uma boa noite, mas somente se fosse uma noite estrelada, com notas daquele perfume que nunca mais senti.
 Meu coração poderia ter a calmaria desta noite, noite vazia como uma alma cuja é atingida por incertezas e desequilíbrio. Mas é só mais uma noite, como todas as outras. Noite que traz silêncio e insônia; é uma das noites que têm sinônimo de escuridão. Assim como uns se acostumam a viver sem razão alguma, eu me acostumo com esta noite. Pacata e mordaz noite.

Nenhum comentário: